to top

7 dicas para uma convivência harmoniosa entre animais de estimação e crianças 

Diversas pesquisas pelo mundo já provaram os benefícios em ter um animal de estimação, principalmente nos primeiros estágios da vida de uma criança. Segundo estudo da Universidade de Melbourne, crianças que tiveram animais de estimação até os cinco anos apresentaram um sistema imunológico mais resistente que as demais.

De acordo com a Agência de Pesquisa e Assistência Médica do Governo dos Estados Unidos, conviver com um animal de estimação auxilia no desenvolvimento social e na melhora da auto-estima das crianças, além de ensiná-las a ter responsabilidade, empatia e respeitar os outros à sua volta.

Processed with VSCO with a5 preset

João Henrique e o Moby! <3

Já tem um tempo que tenho me ensaiado para pegar um pet para o João Henrique, mas acho que ele ainda não tem noção real do que é ter um cachorro, ou gato tão pequeninho, fora que ter um animal de estimação exige responsabilidade e dedicação. Mas é fato que quero ter um, e não vai demorar!

Entre os animais de estimação, os cachorros são em sua maioria os mais afeitos em brincar com crianças, mas essa interação requer alguns cuidados. Para ajudar os pais nesse processo, encontrei algumas dicas muito pontuais que a Holipet fez para evitar mordidas, prevenir tombos, arranhões e ensinar como cães e crianças devem se comportar um com o outro.

1) Por mais bem comportadas que sejam, crianças são crianças. E é certo que em algum momento terão aquela grande ideia de demonstrar seu carinho apertando o pescoço do cão ou puxando seus pelos. É importante deixar claro para seu filho que ele não deve brincar dessa forma.

2) Outra dica importante é ensinar as crianças a não incomodar o cachorro enquanto ele estiver comendo ou dormindo. Nessas situações, o animal pode se sentir ameaçado por ter seu espaço invadido.

3) Socialize o cachorro, seja ele adulto ou filhote. Deixe o cão se acostumar com o ambiente e só depois aproxime a criança dele.

Processed with VSCO with a5 preset

4) Quando o animal se comportar bem, recompense-o com elogios e petiscos. Repreenda-o caso ele comece a correr e fazer brincadeiras agressivas como morder ou pular na criança.

5) Na hora de repreender, coloque moedas dentro de uma lata de modo que faça barulho quando chacoalhar. No momento que o seu cão demonstrar um comportamento inoportuno, dê uma boa bronca dizendo enfaticamente a palavra “não” e no mesmo momento mexa a lata fazendo bastante barulho. Isso irá inibir os maus hábitos.

6) Inclua o cão na rotina da casa e principalmente nas brincadeiras cotidianas. Isso tornará a convivência mais prazerosa e reforçará o vínculo entre ele e seu filho.

7) Mesmo vigiando atentamente para que o cãozinho não pule nas crianças, em algum momento isso pode acontecer. Portanto, mantenha sempre em dia o corte das unhas do animal.

Acho que com estas dicas conseguimos fazer a integração melhor em casa entre as crianças e o animalzinho. Espero que eu consiga realmente fazer esta interação de forma harmoniosa! Tanto eu como meu marido somos apaixonados por cachorros e gatos e queremos muito que o JH tenha essa convivência.

 

Espero ter ajudado a adaptação por aí! E com vocês como é com seus pets?

Beijos, Vê!

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...