to top

As transformações do corpo de uma mãe

Engravidamos, gestamos, parimos e com isso acontecem as nossas transformações. E amamos muito as nossas crias. Ninguém duvida. Mas o que ninguém realmente conta é como nós mudamos. Ah se mudamos! Mudanças emocionais, e físicas. Muitas mudanças físicas. Os quilos vem, os quilos vão. O efeito ioiô começa. A balança muda o ponteiro, e com isso vem a constante insatisfação com si.

Sempre fui cheinha, entre vindas e vindas de emagrece e engorda com 21 anos fiz redução de estômago. Emagreci 40 kg. Foi o meu presente de formatura. O melhor presente que eu poderia receber. Cuidar de mim. Nunca tive problemas com restrição de alimentos, apenas preciso comer com calma, respirar, descansar os talheres e a ansiedade para não descontar na comida.

Aquela foto que significa mais do que apenas uma foto de biquíni. Significa, eu consegui!

Durante a gestação engordei apenas 9 kg, foi um sonho. Sai da maternidade com 61kg, mais magra do que quando estava antes de engravidar, durante dois meses consegui amamentar exclusivamente. Tudo estava indo muito bem. Mas eu estava sentindo que o meu leite não estava sendo suficiente, então comecei a tomar um remédio pra ter mais leite e neste período de amamentação engordei 10 kilos. SIM DEEEZ KILOS em quatro meses, algo surreal, e o pior o medicamento me ajudou até a página dois.

Por dois anos fiquei na estaca dos 72 kg, e com o que se chama de Efeito Platô, que é quando o ponteiro da balança pára, e não se mexe por nada. Fiquei por três meses fazendo acompanhamento nutricional, até que junto com a minha nutricionista voltei ao meu médico da bariátrica e administramos um novo protocolo e consegui emagrecer os meus 10 indesejados kilos.

Junto com a Ana e a Débora das Esteticistas Associadas estamos fazendo uma série de tratamentos para diminuir celulite, culote, aumentar a elasticidade e colágeno da pele, afinal emagrecer 40kg fez com que o meu corpo mudasse muito. Decidi cuidar de mim. Decidi fazer limpezas de pele mensais com as meninas, coisa que nunca fazia antes, decidi fazer depilação a lazer, estamos fazendo um tratamento novo que se chama LipoShock e que está diminuindo a gordura localizada na barriga.

O que eu aprendi com todo esse processo? Que humanos são mais parecidos com as orquídeas que eu cultivo: não posso regar demais ou esquecer de regá-la, pois posso matá-la das duas formas.

Assim, aprendi que tenho que ter cuidado, moderação e equilíbrio em tudo o que eu faço.

Isso significa na balança também.

Se eu comer demais, se descontar a minha ansiedade na comida irei me “matar”, logo ficarei insatisfeita, chateada, angustiada – como eu estava. Se eu não comer, ficarei fraca, minhas unhas quebrarão, minha saúde ficará abalada e não conseguirei cuidar da minha família.

Muito menos de mim.

O que eu fiz? Sai da minha zona de conforto. Observei tudo o que eu acreditava sobre a minha vida, sobre o que eu era capaz e recapitulei tudo o que já havia passado até chegar aqui. E mudei os meus pensamentos, revi tudo que eu realmente desejava alterar. Durante uma das minhas viagens e leituras, a obra Ansiedade do Augusto Cury, vi que precisava realmente corrigir as minhas crenças para que no futuro eu conseguisse ter qualidade de vida, e funcionou muito!

Mas, porém, contudo, entretanto, todavia é um exercício diário que exige persistência e paciência e mudança de hábitos. O que não pode acontecer é desistir. Pois o resultado se consegue, e é muito prazeroso.

Beijos, com carinho!

Verô Muccini

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...