to top

A ideia do segundo filho

Estes dias estava conversando com a minha médica que fez os exames fetais do João Henrique, a Dra. Janaína, e ela me perguntou se eu e meu marido pensávamos em ter um segundo filho. João Henrique está com 1 ano e 8 meses praticamente, e sabe não penso em tê-lo como filho único, mas ao mesmo tempo me assusta a ideia de ter um segundo. Aí procurando informações sobre o segundo filho li este relato da Alê Rauter, do blog Porto Materno, e o coração bateu. Confere aí…

003

O primeiro filho é furacão, é tempestade, tsunami. Você não sabe da onde vem aquela força da natureza, perde a noção do tempo e do espaço.

Com o primeiro filho você tem um curso intensivo de ser mãe e família. Aprende que não se escolhe a hora que dorme nem a que acorda, que não há número exato de fraldas utilizadas por dia, que dar colo é bom, mas que cansa.

Você também não tem a mínima idéia do que aconteceu com seu corpo, quando ele voltará ao normal e se ele voltará ao normal. Não sabe quando as dores e o desconforto do pós-parto vão passar.

Você se sente perdida nas horas e na rotina da casa, não sabe quanto tempo o primogênito vai dormir em cada soneca, e não sabe por onde começa, se é ela pilha de louça suja, se é varrendo a casa, se é mexendo no celular, se é se atirando no sofá, passando aspirador, tomando banho ou dormindo. Enquanto corre como uma barata tonta pela casa, seu bebê já acordou e você se sente um fracasso, em meio ao caos que está seu lar.

Você se sente sozinha e isolada, porque até então você tinha direito de ir e vir à qualquer lugar, você trabalhava, tinha seus almoços como amigos e colegas, passeava pela rua sem compromissos urgentes ou casos de vida ou morte. Você fazia happy hours, visitava a família e podia ficar pendurada com uma amiga no telefone.

Com o tempo as coisas se ajeitam, e a sua vida entra num tipo de normalidade.

Aí vem a descoberta de um segundo filho e a emoção lhe diz que você vai surtar, porque passará por tudo de novo, e que além de tudo serão dois filhos para gerenciar.

O segundo filho chega e você se dá conta que virou uma camaleoa, se adaptou ao ambiente e a nova vida, por instinto e por necessidade. Depois do primeiro filho, você ganhou uma pele nova e super poderes.

As inseguranças da primeira viagem ficam guardadas em alguma mala pela casa. Com o segundo filho você já tem pistas do que se tratam os chororôs. Você sabe priorizar o que fazer enquanto dormem e sabe que não precisa ficar vigiando um bebê 24 horas por dia. Além disso a dinâmica do casal já está estabelecida, cada um sabe o que pode fazer, sem cobranças, sem nervos a flor da pele. Enfim, tudo fica mais leve.

Seu primeiro filho foi “A Prova Surpresa”, o segundo filho é o “Trabalho em Grupo”.

No primeiro filho se formou uma família, no segundo filho vocês se tornaram um time.

O primeiro filho faz nascer uma mãe, com direito a todas dores e delícias, assim como em um parto.

O segundo filho nasce para uma mãe, pronta, madura e com o coração ainda maior.

E por aí mamães de filhos, por enquanto únicos, sentem vontade de ter um segundo? Eu e meu marido temos bem decidido que hoje não conseguimos, mas quem sabe um dia, né?

Beijos com carinho! Vê.

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...