to top

Sobre essa tal maternidade real

Ando bem sumida aqui, eu sei. E olhando os posts do blog, faz mais de um mês que não escrevo aqui, na verdade faz quase 2 meses. Nem que seja apenas para dar um oizinho. Prometo que isso não vai mais acontecer. Muita coisa aconteceu. Muita, muita, muita… e vou dividir com vocês. Mas primeiro um Feliz Ano Novo para todos, 2016 foi um ano de muitos aprendizados. Foi um ano em que comecei o blog, e que descobri uma nova habilidade em mim que não conhecia, estar na frente das câmeras e escrever aqui para vocês a minha maternidade real. E me expor também.

Quando eu me propus em escrever lá no início do blog era para falar sobre a minha maternagem. Sobre a minha maternidade real. E assim vem sendo, e assim será. Se me exponho fazendo isso? Sim. Muito! Pois só de você engravidar você já está com um telhado de vidro sob a cabeça gigantesco e olhos, mas principalmente com línguas e muitos palpites. E o post de hoje pode ser um pouco polêmico, ou ainda desabafo ou com uma visão de “oh, mas parece que tudo é tão perfeito” mas desculpa, e não é, e nunca será.

Sou jornalista, assessora de imprensa e meu escritório é em casa, trabalho em estilo home-office. Para alguns parece ser um sonho, mas, porém, contudo, entretanto, todavia, preciso ter uma determinação para que as coisas aconteçam de um jeito que, ou elas se realizam em determinados horários, ou tenho que trabalhar em momentos, alternativos, “Leia-se a frase, o que você faz da meia noite as 6h da manhã?”. Tipo o que estou fazendo agora… rs!

Graças a Deus, e a minha família possuo ajudas maravilhosas! Não sei como seria se não a tivesse, sabe? Tenho uma pessoa para me ajudar com o João de manhã quando ele está em casa, e preciso trabalhar, a tarde agora ele começou a ir na escola e está indo muito bem, obrigada! Tenho até que escrever sobre essa terceira adaptação. Mas isso é um outro capítulo.

Ano passado passei alguns perrengues quando a minha funcionária adoeceu e eu tive que ficar uns bons dias sem ninguém, tendo que dar conta do trabalho, de casa, do bebê e ainda estar com tudo em ordem. JURO, me vi pequena. No final do dia eu estava com as mãos tremendo, estômago vazio e super cansada. Aí fiquei pensando como que as nossas mães conseguiam, como que as nossas avós conseguiam ter cinco, seis, sete filhos! E ai conversando com amigas elas me disseram: “Um cuidava do outro, e outro cuidava de um, e assim ia…”. E hoje? Hoje as coisas mudaram, os valores mudaram, os tempos também.

Semana passada quando a atriz Rafa Brites ganhou bebê ela escreveu um desabafo que viralizou nas redes sociais e que de verdade, diz muito! E diz muito do que eu sinto… aí vai:

“Não sobre mim…Sobre vocês… Ontem saí de casa para uma consulta… quando olho no espelho vejo isso aí. Na pressa de voltar a tempo pra próxima mamada prendi com a piranha mas veio isso junto eu nem percebi. Sou mãe há 5 dias.A palavra que define é descomunal. Um sentimento que vem de um lugar que eu nunca tinha acessado antes.Mas sabe o que não paro de pensar? Em você :mãe que não conta com a estrutura que eu tenho. Porque, sem hipocrisia, eu tenho TODO e qualquer auxílio: convênio médico, funcionários deixando a casa em ordem. Eu pisco ta tudo limpo. Almoço na mesa. Meu exoval impecável. Dor nas costas? Chamo o massagista. Inchaço? Drenagem. Meus pais no quarto ao lado. Minha sogra um amorzinho, sempre sensível com as dicas.Meu marido nem se fala… me surpreendeu de tão bom pai.
E principalmente: meu filho nasceu com saúde de ferro. MAS, mesmo assim…Nunca passei por nada tão delicado e exaustivo físico e emocionalmente. ENTÃO, toda hora… penso em VOCÊS. De onde vem essa força? Não me sinto digna de dizer que estou cansada ou insegura com algo SABE PQ??? Quantas de vocês tomam conta de tudo, casa, roupa , louça..Ou não tem um bom relacionamento com a familia,as vezes o pai nem assume o filho. E muitas outras já tem outras filhos pra vestir mandar pra escola.Moram em lugares sem conforto, encaram filas da saúse publica… e a criança nasceu com algum.problema de saúde seja ele o grau de gravidade que for…Muitas de vcs me seguem pq trabalho na TV. Esperam dicas aqui. Adoram ver um look de grávida ou algum apetrecho importado novo..Mas saibam : A minha inspiração são VOCÊS. Nessa nobreza em se virar em mil e criarem seus filhos com o que tem.
VOCÊS ESTÃO EM MEUS PENSAMENTOS DIÁRIOS E ME DÃO A MAIOR FORÇA MESMO SEM SABER.
OBRIGADA”

Aqui não tem drenagem, não tem massagem, mas tem uma mãe que tem ajuda e que de verdade não sei como seria se não o tivesse. Mentira, sei sim. Seria bem mais trabalhoso e cansativo. Sobreviveríamos? Sim. Com toda a certeza. As minhas viagens a trabalho seriam mais complicadas, sim, seriam. Mas se daria um jeito.  A minha maternidade real tem muito obrigada, tem ajuda, tem peleia, tem perrengues. Assim como de qualquer uma. Assim como a da Rafa Brites.

E voltamos aos posts, e à programação normal por aqui, que eu estava morrendo de saudades!

E por aí, como é a tua maternidade real?

Beijos, com carinho!

Verô.

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...