to top

Sono: também é hábito de higiene

O sono das mães nunca mais é o mesmo depois que os filhos nascem. O João nasceu, e eu não posso falar nada, ele dorme super bem a noite toda e o sono dele é uma beleza. Ele dorme desde os dois meses a noite toda! Mas aqueeeele sono, aquela tranquilidade nunca mais né… Mas com alguns cuidados e possível ter uma rotina de dormir, e assim uma criança, uma mãe e uma família mais tranquila.

Agora com a mudança do horário de verão para o horário de inverno, snifff (eu gostava…) temos crianças madrugadoras. E aquela frase ou pensamento: “Ninguém é uma boa pessoa com sono”, nunca fez tanto sentido. E dormir bem é um hábito de higiene. Pois previne doenças e criam condições para melhorar a saúde. Assim como existe a rotina de cuidados com o corpo, a atenção com o sono não poderia ser diferente.

As regras de higiene do sono incluem passos que devem ser adotados diariamente, com o intuito de garantir o descanso total do corpo. Para que o organismo se recupere de um dia inteiro são necessárias uma média de sete a oito horas de sono, como explica a médica Aliciane Mota, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL). “Quando não mantemos esses hábitos, podemos desenvolver um sono irregular e de baixa qualidade. Muitas vezes entramos apenas nas primeiras fases do sono, ou seja, um sono superficial”, conta a especialista.

Pesquisas do Instituto do Sono apontam que 63% dos brasileiros têm algum problema relacionado ao sono. Noites mal dormidas podem ter como consequência a sonolência diurna e impacto direto nas atividades diárias. Deve-se evitar cochilos prolongados durante o dia. A médica ressalta que o costume de dormir um pouco depois do almoço não precisa ser abolido, desde que esse período de repouso não passe de uma hora, já que o tempo adequado deve ser de 15 a 30 minutos. Levanto em conta que estamos falando de adultos, as crianças precisam tirar as suas sonecas diárias para que o corpo descanse.

Para garantir a eficiência do sono e a quantidade de horas para o descanso, na hora de deitar, nada de levar eletrônicos para a cama. “Entre os maus hábitos mais comuns estão o uso de eletrônicos em geral, como celular; assistir programações de TV que ativem seu raciocínio, filmes de ação e suspense, por exemplo; além de navegar na internet quando já está na cama. E nada de levar trabalho para o quarto!”, comenta a médica..

Os cuidados com a alimentação também entram nas recomendações de higiene do sono. De acordo com a especialista, a ingestão de bebidas alcoólicas ou estimulantes, como café, chá preto e refrigerantes, não é recomendada no período do fim da tarde ou da noite.

A atividade física pode ajudar diretamente na hora de dormir. Os exercícios diminuem a fragmentação do sono e aumenta o percentual de ondas lentas, que é o sono mais profundo. De forma indireta a prática de atividades auxilia a manter uma rotina mais saudável de alimentação e manutenção de peso, fatores ligados ao sono.

Confira algumas dicas para garantir uma boa higiene do sono:

– Mantenha o ambiente escuro, para fazer o organismo entender que já anoiteceu e, portanto, deve-se repousar.

– Crie o hábito de dormir e acordar sempre nos mesmos horários, inclusive nos finais de semana.

– Evite eletroeletrônicos no quarto. “Deixar o celular no silencioso pode não ser suficiente, já que um alerta pode te despertar”, enfatiza a médica. Experimente deixa-lo em outro cômodo e ativá-lo apenas no dia seguinte.

– Um bom banho quente entre as duas horas que antecedem o sono pode ajudar no relaxamento do corpo.

– Evite alimentação excessiva durante a noite, priorizando alimentos leves. As refeições devem ser feitas em no máximo duas horas antes do sono.

– A iluminação com uma luz amarela no quarto favorece um ambiente mais aconchegante.

– Fugir do estilo de vida moderno, deixando som, computador, televisão e celular desligados na hora de deitar.

– Relacione o ambiente do quarto ao descanso. O cérebro deve ter no inconsciente que o quarto é um local apenas para dormir, não deve ser lugar de trabalho ou alimentação, por exemplo.

– Tente não fazer um resumo do que foi o dia na hora em que deitar, e evitar ficar pensando nos planos para o dia seguinte, isso pode gerar ansiedade e inquietação. “Essas coisas podem ser feitas sim, mas no início da noite, não na hora de dormir”, explica Aliciane.

 

E por aí? Quais hábitos vocês adotam para indicar ao corpo de que está na hora de dormir e é preciso relaxar? Aqui em casa funciona bem com o João, e ele já entende os momentos em que está cansado e precisa dormir. Pega o seu travesseiro e vai pro quarto dele e diz: “Boa noite, papai e mamãe”.

Espero que ajude também!

Beijos, com carinho.

Verô Muccini

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...