to top

Todos contra a gripe H1N1: vacina, prevenção e cuidados!

O outono nem começou direito e as mães e pais já estão bem preocupados com os recentes casos de gripe H1N1 no Brasil todo, me incluo nessa! Com o aumento de casos, aumenta também a procura por vacinas, tanto na rede privada quanto na pública, as clínicas nunca tiveram tanta procura como agora.

Pensando nisso a Prefeitura Municipal de Passo Fundo decidiu antecipar a campanha de vacinação no município contra a gripe, pedindo o adiantamento das doses de vacina ao Estado do Rio Grande do Sul. (UFA!, as mães e pais  agradecem… rs…Obrigada secretário, obrigada prefeito!). A campanha vai iniciar amanhã, dia 16 de abril, a partir das 8h às 16h, vão ser aplicadas cerca de 20 mil doses.

Processed with VSCO with a5 preset

O mutirão para vacinação será realizado no sábado das 8h às 16h. Serão aplicadas cerca de 20 mil doses, por isso cada grupo de risco receberá a vacina em determinados pontos da cidade. Crianças de seis meses a cinco anos, gestantes e puérperas vão receber a vacina no Postão localizado na rua Fagundes dos Reis esquina com Paissandú. Já doentes crônicos, munidos de receita ou atestado, deverão procurar a Farmácia Central (Rua Fagundes do Reis, 825). Idosos com mais de 60 anos e trabalhadores de saúde serão vacinados na sede da Secretaria Municipal de Saúde (Rua Paissandú, 1052).

Para receber imunização no sábado, os pertencentes aos grupos de risco terão de comprovar endereço, através do cartão SUS, conta de luz, água, telefone ou cartão de saúde Na segunda-feira (18), a campanha continua, a Prefeitura estará em 28 pontos de vacinação em todas as regiões da cidade. A partir dessa data, apenas o Postão fará vacinas no centro da cidade e a Secretaria recomenda que sejam procurados os outros locais de vacinação.

campanhadevacinacao-h1n1-depoisdachegada

Conversamos com o secretário municipal de saúde de Passo Fundo, Luiz Arthur Rosa Filho, e ele nos explicou alguns pontos, confira na entrevista abaixo:

Depois da Chegada – DC: Secretário, existe diferença entre as vacinas oferecidas pela rede particular ou
pública?
Luiz Rosa Filho: As vacinas podem ser mais ou menos abrangentes, por exemplo, a pública envolve os quatro vírus mais frequentes nas epidemias do inverno no hemisfério norte.

DC – Quais são os principais grupos de risco?
Luiz Rosa Filho: Idosos, gestantes, crianças até 5 anos e doentes crônicos.

DC – Quem deve fazer a vacina?
Luiz Rosa Filho: Grupos de risco obrigatoriamente e outros opcionalmente.

DC – Qual a diferença entre a trivalente e a tretavalente?
Luiz Rosa Filho: São as proteções, as diferentes cepas da doença, uma protege contra três vírus e outra contra quatro.

DC – Bebês abaixo dos seis meses devem fazer a vacina?
Luiz Rosa Filho: Se amamentados no peito, poderão receber anticorpos da mãe. Também circulam menos e, portanto, têm menos chance de terem gripes ocasionais. Mas a vacina pode ser feita.

DC – Quais são os cuidados necessários para evitar a H1N1?
Luiz Rosa Filho: Lavagem de mãos ou uso de álcool gel são fundamentais, recomenda-se pelo menos três lavagens por turno e sempre que se chegar em casa ou no trabalho.

DC – Existem casos de H1N1 em Passo Fundo?
Luiz Rosa Filho: Neste momento já há casos suspeitos sendo investigados, mas nenhum caso confirmado.

Prosseguimento da campanha
 
Na segunda-feira (18), a Prefeitura estará com 28 pontos de vacinação em todas as regiões da cidade para aqueles que quiserem evitar filas. A partir dessa data, apenas o Postão fará vacinas no centro da cidade e a Secretaria recomenda que sejam procurados os outros locais de vacinação.
Muito além da vacina
Além da vacinação, manter os hábitos de higiene uma outra arma super poderosa pode auxiliar no combate à gripe H1N1, e ele é mais simples do que se imagina: a alimentação. “A alimentação é a base para a prevenção de muitas doenças. A combinação de alimentos adequada tem o poder de deixar uma pessoa saudável e com boa imunidade para ter mais resistência a gripes e tantas outras doenças”, diz Liliane Opperman, nutróloga, especialista pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) em entrevista ao portal da Revista Crescer.
Pink lunch box for little girl

Pink lunch box for little girl

Confira aqui uma lista de alimentos para incluir no cardápio de casa e turbinar a imunidade da família inteira:

– Oleaginosas, como nozes, castanhas e amêndoas. Elas são ricas em vitamina E, que é benéfica porque age no combate à diminuição da atividade imunológica.

– Vegetais de folhas verde-escuras, como couve, brócolis, rúcula e espinafre. Eles possuem vitaminas A, B6 e B12, responsáveis pela maturação das células imunes, que ajudam na resistência às infecções.

– Alho. O alimento tem função imunoprotetora e vem com uma boa dose de selênio e zinco, nutrientes que ajudam a evitar gripes e outras doenças.

– Cebola. Ela possui quercitina, um potencializador da função imune que, além de prevenir doenças virais, combate também as alérgicas.

– Laranja, acerola e goiaba. Alimentos fontes em vitamina C melhoram a flora intestinal e aumentam a produção de glóbulos brancos, células que fazem parte do sistema imunológico e combatem doenças como a gripe.

– Shimeji e shitake. Ambos são ricos em lentinana, um nutriente que estimula a produção de células de defesa, aumentando a imunidade.

– Iogurte natural. É rico em cálcio e em lactobacilos, que melhoraram a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico.

– Salmão e sardinha. Esses peixes ajudam as artérias a permanecerem longe de inflamações.

– Água. A hidratação é fundamental porque mantém as vias aéreas úmidas, ajudando no combate ao vírus.*

Então mamães, não existe milagre, a vacina é apenas uma parte da prevenção – porém é super importante e necessária. Eu vou amanhã para a fila do posto central fazer a vacina no pequeno. Vejo vocês por lá!

Beijos!

*Com informações da Revista Crescer.

Verônica Muccini

Verônica Muccini é jornalista, mas brinca que tem a alma de Relações Públicas, porém foi na maternidade que descobriu o seu maior desafio. Divide as suas angústias, conquistas e trapalhadas com o pequeno João Henrique aqui no Depois da Chegada.

Deixe o seu comentário...